Livros digitais da Unesp

11/03/2010

A Universidade Estadual Paulista (Unesp) encontrou uma solução inovadora para oferecer acesso universal ao conhecimento produzido em sua pós-graduação: o Programa de Publicações Digitais, que lança nesta quinta-feira (11/3) sua primeira coleção, com 44 títulos inéditos.

O programa, decorrente de uma parceria entre a Fundação Editora Unesp (FEU) e a Pró-Reitoria de Pós-Graduação (PROPG) da universidade, publica em formato digital livros exclusivamente produzidos para esse fim, com foco nas áreas de ciências humanas, ciências sociais e aplicadas e linguística, letras e artes.

Mais informações:  www.culturaacademica.com.br

Fonte: Agência FAPESP –
http://www.agencia.fapesp.br/materia/11879/especiais/livros-digitais-da-unesp.htm


O que você faz para que o último enunciado se modifique?

23/02/2010

Há cerca de 11 anos, Alison Buckholtz escreveu:

No princípio, cientistas curiosos realizavam pesquisas acerca do céu e da terra.

 No primeiro dia, esses cientistas se reuniram para constituir comunidades em torno de um interesse comum. Tais comunidades ficaram conhecidas como associações científicas. E isso era bom.

No segundo dia, outras pessoas mostraram interesse pelas descobertas dos cientistas. E isso era muito bom.

No terceiro dia, as associações publicaram seus resultados em revistas científicas. Estas revistas atingiam a audiência mais ampla possível, através de assinaturas a preços acessíveis a indivíduos e a bibliotecas. A arrecadação com as assinaturas era reinvestida no próprio conhecimento, e comunidades com foco temático definido frutificavam. O futuro parecia definitivamente muito promissor.

No quarto dia, editoras comercias adquiriram as revistas científicas.

No quinto dia, as editoras se fundiram, incorporaram os publicadores menores, e obtiveram lucros astronômicos através do aumento dos preços das assinaturas. As bibliotecas cortaram a aquisição de monografias e de periódicos nas áreas de ciências humanas e sociais para manter as assinaturas das dispendiosas revistas exigidas pelos que se dedicavam as “ciências duras”. Uma nuvem negra passou a pairar sobre a comunicação acadêmica.

No sexto dia, pesquisadores, associações científicas, bibliotecários e administradores acadêmicos começaram a discutir soluções alternativas.

No sétimo dia, foram aos seus colegas das universidades e solicitaram que os apoiassem.”

Talvez, atualmente, possamos modificar o último enunciado para: No sétimo dia, eles inventaram o acesso livre.

Fonte: 

Open Access Research: The Ants and Bees Tale. Disponível em: <http://www.psicorip.org/Resumos/PerP/RIP/RIP036a0/RIP03938.pdf>.


TECSOC 2009

05/11/2009

layout_01

Em sua terceira edição, o Simpósio Nacional de Tecnologia e Sociedade objetiva dar continuidade às discussões em torno da relação entre ciência, tecnologia e sociedade. Em busca de um olhar múltiplo, de base interdisciplinar, a proposta do evento parte do princípio de que os conhecimentos científicos e tecnológicos devem estar presentes no movimento de interações sócio-culturais, auxiliando em sua transformação. Ao se acreditar que não existe uma separação entre conhecimento tecnológico e sociedade, cria-se um caminho possível e necessário para as transformações sociais; caminho esse baseado na intersecção entre os saberes. III Simpósio Nacional de Tecnologia e Sociedade: desafios para a transformação social.

Data: 10 a 13 de novembro de 2009. Local: Universidade Tecnológica Federal do Paraná (Campus de Curitiba) – Av. Sete de Setembro, 3165 Rebouças Informações no site http://www.ppgte.ct.utfpr.edu.br/tecsoc2009/ ou no blog


Open Access Day

14/10/2009

 

OA day

Ontem foi comemorado o dia internacional do Acesso Aberto.  

O que é o Open Access Day?  É um dia no qual comemora-se à iniciativa do Movimento do Acesso Aberto às publicações científicas. E também divulga-se esta iniciativa para a comunidade acadêmia e a sociedade.

Muitas Instituições de Ensino ao redor do mundo promovem o Evento durante esta semana. Conheça os/as participantes do evento deste ano acessando: http://oad.simmons.edu/oadwiki/South_America:_Open_Access_Week_2009

Assista também os vídeos de divulgação do evento em: http://vimeo.com/oaday08


Queremos saber…

11/09/2009

Existem várias ações de grupos e organizações que trabalham com iniciativas para dar acesso e devolver as liberdades que são cercadas por interesses comerciais. Entre elas estão os movimentos:

OpenDocument Format (ODF)

Open Standard

Open Source Journalism

Filosofia Aberta

Cultura livre

Open Content

Open Source

Software Livre

Free Access

Open knowledge

Free Documentation License

Open standards

Openness

Open educational resources

Iniciativas muitas vezes isoladas uma das outras. Já em outros casos uma dá suporte a outra. Como no caso do movimento de Acesso Aberto que “conversa” diretamente com a Iniciativa de Arquivos Abertos. Elas são iniciativas isoladas mas se fortalecem cada vez mais com as ações que são desenvolvidas em conjunto.

Você faz parte de algumas destas inciativas? O que elas tem em comum? Há algum benefício para a sociedade nos princípios destes movimentos?

Um pouco de Música Popular Brasileira para reflexão:

Composição: Gilberto Gil

Queremos saber,
O que vão fazer
Com as novas invenções
Queremos notícia mais séria
Sobre a descoberta da antimatéria
e suas implicações
Na emancipação do homem
Das grandes populações
Homens pobres das cidades
Das estepes dos sertões
Queremos saber,
Quando vamos ter
Raio laser mais barato
Queremos, de fato, um relato
Retrato mais sério do mistério da luz
Luz do disco voador
Pra iluminação do homem
Tão carente, sofredor
Tão perdido na distância
Da morada do senhor
Queremos saber,
Queremos viver
Confiantes no futuro
Por isso se faz necessário prever
Qual o itinerário da ilusão
A ilusão do poder
Pois se foi permitido ao homem
Tantas coisas conhecer
É melhor que todos saibam
O que pode acontecer
Queremos saber, queremos saber
Queremos saber, todos queremos saber

(…)


Qual é o seu papel na comunicação científica?

20/08/2009

Autores, editores de periódicos, comunidade acadêmica, editoras comerciais, revistas com acesso restrito, você, que papel desempenham na aproximação dos conhecimentos científicos da sociedade? Academia: fazer ciência para que e para quem? Sociedade: passividade a situação atual pode não ser o caminho para recursos financeiros que você paga para fazerem ciência.

O Acesso Aberto à informação científica pode nos ajudar a refletir sobre as relações sociais presentes na comunicação da ciência.

De maneira “divertida”, pense sobre o modelo atual de comunicação científica e me conte aqui como você acredita que o Acesso Aberto afeta a divulgação da ciência.

Para isso leia (lamento estar em inglês, mas sou contra traduções de quadrinhos por quem não sabe como inseri-las corretamente nas “caixas de diálogo”. Neste momento eu. Não dou conta) os quadrinhos super criativos da PHD Comics, feito por Jorge Cham. Este abaixo, é a quarta parte de uma série que ele falou sobre a nature versus science. E Cham neste acrescenta o Open Access! Todos são bem bacanas e podem nos ajudar a refletir sobre os aspectos da comunicação científica, acesse:

Parte 1

Parte 2

Parte 3

nature vs. science vc. open access

Até breve.

P.s: calma Débora, quem sabe com os quadrinhos você receba mais comentários no post!

P.s 1: “Simmm! Tenho certeza que muitas discussões interessantes ocorrerão nesta página ainda!” =D


Você conhece a Biblioteca Digital Mundial?

13/08/2009

Veja que bacana! Os países da América Latina e Caribe já disponibilizaram 319 ítens na Biblioteca Digital Mundial, estando atrás somente da Europa (379 ítens disponíveis) na divulgação de fontes de informação.

bm

Para quem não conhece, “a Biblioteca Digital Mundial disponibiliza na Internet, gratuitamente e em formato multilíngue, importantes fontes provenientes de países e culturas de todo o mundo” (fonte: http://www.wdl.org/pt/about/). Ela foi lançada pela UNESCO em 20 de abril deste ano (fonte: http://www1.folha.uol.com.br/folha/informatica/ult124u553154.shtml).

Você pode também fazer parte desse projeto!
Qualquer biblioteca, museu, arquivo ou outra instituição cultural que tenha conteúdo histórico e cultural pode participar. Basta entrar em contato acessando: http://www.wdl.org/pt/contact.html. Ou ainda, os interessados podem entrar em contato por este canal para obter informações de quais são as oportunidade de voluntariado para trabalhar com a equipe da Biblioteca Digital Mundial.

Acesse e conheça: http://www.wdl.org/pt/


Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.